quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Lembrete para o Ano Novo

Para você ganhar belíssimo Ano Novo, Não precisa fazer lista de boas intenções para arquivá-las na gaveta. Não precisa chorar arrependido pelas besteiras consumidas... Para ganhar um Ano Novo que mereça este nome, você, meu caro, tem de merecê-lo, tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil, mas tente, experimente, consciente. É dentro de você que o Ano Novo cochila e espera desde sempre. 
 
Carlos Drummond Andrade

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Entesouro frases


Não tenho bens de acontecimentos. 
O que não sei fazer desconto nas palavras.
Entesouro frases. Por exemplo:
- Imagens são palavras que nos faltaram.
- Poesia é a ocupação da palavra pela Imagem.
- Poesia é a ocupação da Imagem pelo Ser.


Ai frases de pensar!
Pensar é uma pedreira. Estou sendo.
Me acho em petição de lata (frase encontrada no lixo)
Concluindo: há pessoas que se compõem de atos, ruídos, retratos.
Outras de palavras.
Poetas e tontos se compõem com palavras.



Manoel de Barros

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Que o Natal existe, que ninguém é triste...

No Natal de 1971, o Banco Nacional lançou um dos seus mais belos comerciais. De acordo com o SINAPRO-SC, o comercial - último de uma campanha desenvolvida para valorizar os gerentes do Banco - foi uma criação da agência JMM do Rio de Janeiro. A música criada pelo compositor e jinglista Edson “Passarinho” Borges, embalou nosso natal de um modo especial naquele ano.


Quero ver
você não chorar
não olhar pra trás
nem se arrepender do que faz...
Quero ver
o amor crescer
mas se a dor nascer
você resistir e sorrir...
Se você
pode ser assim
tão enorme assim
eu vou crer...
Que o Natal existe
que ninguém é triste
e no mundo há sempre amor...
Bom Natal um Feliz Natal
muito Amor e Paz pra Você...
pra VOCÊ.


Fonte: SINAPRO

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

um par se faz de dois inteiros




No fabuloso mundo dos amores possíveis

não há borralheira
cinderela
ou bela adormecida

sapos não viram príncipes com um beijo
e nobreza é estado de alma

no fabuloso mundo dos amores possíveis
relação é síntese
produto de conflitos

nó[s] é tentativa forçada de laço
e um par se faz de dois inteiros

no fabuloso mundo dos amores possíveis
sabe-se:
o “felizes para sempre” cabe na efemeridade
d'uma tarde de sol de um dia de inverno.


Aline Barra






sábado, 1 de dezembro de 2012

No mundo da lua





                                       
Vou inventar uma rua
onde se pinte e borde,
se faça e aconteça
se cante e dance,
se plantem corações...
uma rua onde todos vivam
no mundo da lua.



Roseana Murray
in No Mundo da Lua

terça-feira, 20 de novembro de 2012

HO HO HO!! Enfeite de Natal para hall de entrada

O Natal vem vindo... Oba, é hora de preparar nossa casa! Como assim? você ainda não desembrulhou seus enfeites dos anos anteriores?
Observe que não é preciso ter grande habilidade manual para fazer estes velhinhos simpáticos. Eu fiz assim - comprei 03 bonecos iguais, um pedaço de corda colorida, costurei os "gorduchos" e pendurei a corda no teto.

Olha que fofura!!! É simples, fácil de fazer, e as crianças ficam encantadas com o Papai Noel subindo para a "chaminé".


Imagem - Curiosidade Feminal





sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Livros...Livros...

Livros, livros... Muitos me pertencem, mas, bem menos do que eu gostaria.


"Um livro pode ser nosso sem nos pertencer.
 Só um livro lido nos pertence realmente."




"Tenha sempre um livro ao alcance do seu tempo."



"Alguns livros são do tipo que quando você os larga, não consegue pegar mais."



Conheça o belíssimo trabalho do Ceó Pontual - Frases Ilustradas

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Lago



No lago dos desejos
teu corpo flutua.
Entrelaço teu nome
no meu,
trança mágica
com que me alimento.



Roseana Murray
in No Cais do Primeiro Amor

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Brasília explode em cores

É primavera, a cidade de Brasília está deslumbrante. Bastaram as primeiras chuvas... As cigarras começaram a cantar e o cerrado transbordou em cores.



Árvore nativa da ilha de Madagáscar e da África tropical, a Delonix regia, é também conhecida por flor-do-paraíso, pau-rosa, flamboyant, e acácia-rubra.



Os flaboyant com suas magníficas flores de cor vermelha-alaranjada, tornam nossas idas e vindas mais agradáveis.





Fonte: wikipedia  

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Alice no Pais das Maravilhas - Salvador Dali / Lewis Carrol

No mês de outubro de 2012, no Museo Diocesano di Venezia está em exposição - The Dali Universe - 100 obras de Salvador Dali.


Museo Diocesano de Veneza

Persistence of memory - 1980

Salvador Dali ( 1904 - 1989 ) produziu mais de 1500 quadros ao longo da sua carreira,e também ilustrações para livros, litografias, desenhos para cenários e trajes de teatro, um grande número de desenhos, dezenas de esculturas e vários outros projetos.
Dentre as obras expostas em Veneza, estão a gravura e a belíssima escultura de Alice no Pais das Maravilhas.

Alice in wonderland - Gouache concebido em 1977 e escultura em bronze de 1984

Alice no País das Maravilhas publicada em 1865 é uma das mais famosas obras literárias do mundo. Em 1969 a obra escrita por Lewis Carrol foi ilustrada por Salvador Dalí. A responsável pela edição foi a Maecenas Press-Random House, de Nova York, que vendeu a obra como o seu livro de destaque do mês, são 13 ilustrações, uma para cada capítulo da obra de Carroll e outra para a página de título. O livro é um dos trabalhos mais raros e mais procurados pelos fãs dos dois artistas.



Para visualizar o livro:





Fontes:
http://www.laboiteverte.fr





terça-feira, 25 de setembro de 2012

Acho tão natural que não se pense

 
                            Acho tão natural que não se pense
                             Que me ponho a rir às vezes, sozinho,
                             Não sei bem de quê, mas é de qualquer cousa
                             Que tem que ver com haver gente que pensa ...
                             Que pensará o meu muro da minha sombra?
                             Pergunto-me às vezes isto até dar por mim
                             A perguntar-me cousas. . .
                             E então desagrado-me, e incomodo-me
                             Como se desse por mim com um pé dormente. . .
                             Que pensará isto de aquilo?
                             Nada pensa nada.
                             Terá a terra consciência das pedras e plantas que tem?
                             Se ela a tiver, que a tenha...
                             Que me importa isso a mim?
                             Se eu pensasse nessas cousas,
                             Deixaria de ver as árvores e as plantas
                             E deixava de ver a Terra,
                             Para ver só os meus pensamentos ...
                             Entristecia e ficava às escuras.
                             E assim, sem pensar tenho a Terra e o Céu.


Alberto Caeiro
O guardador de rebanhos - XXXIV 

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Abraço


Entrelaçar os braços,
misturar com as tuas
as minhas linhas da mão,
ouvir a música ardente
dos teus anseios,
encostar nossas almas,
nossos olhos, costurar
nossas esperanças,
com o mesmo fio
dividir os sonhos.



Roseana Murray
 in Rios da Alegria

terça-feira, 14 de agosto de 2012

Curiosidade Cultural - Poesia, um santo remédio

Poesia em cápsulas é um santo remédio. Uma criação da artista e escritora Larissa Minghin.



São vários os temas - curar dor de cotovelo, matar saudade, sorrir, se apaixonar... Cada caixinha contém um receituário (cartão), bula e um frasco contendo 15 cápsulas com poesias, frases e haikais escritos por Larissa e diversos outros poetas, como Caio Fernando de Abreu, Mário Quintana e Martha Medeiros.



 Recomendadíssimo, podendo ser usado várias vezes ao dia, não tem contra indicação, e os efeitos colaterais podem ser percebidos como - risinhos de satisfação, suspiros de emoção...
Uma ótima sugestão para presentear com algo especial aqui


Fonte: Santo remédio
           Bem Legaus

domingo, 12 de agosto de 2012

Entesouro frases...



Não tenho bens de acontecimentos.
O que não sei fazer desconto nas palavras.
Entesouro frases. Por exemplo:
- Imagens são palavras que nos faltaram.
- Poesia é a ocupação da palavra pela Imagem.
- Poesia é a ocupação da Imagem pelo Ser.
Ai frases de pensar!
Pensar é uma pedreira. Estou sendo.
Me acho em petição de lata (frase encontrada no lixo)
Concluindo: há pessoas que se compõem de atos, ruídos,
retratos.
Outras de palavras.
Poetas e tontos se compõem com palavras.

Manoel de Barros

sábado, 4 de agosto de 2012

equilibrista


 


Procura-se um equilibrista
que saiba caminhar na linha
que divide a noite do dia
que saiba carregar nas mãos
um fino pote cheio de fantasia
que saiba escalar nuvens arredias
que saiba construir ilhas de poesia
na vida simples de todo dia.




Mais anúncios inspiradores do Classificados Poéticos aqui
Roseana Murray

quarta-feira, 25 de julho de 2012

Curiosidade Cultural - Paper Passion, perfume com cheiro de livro novo

Para os amantes dos livros, foi criado o perfume Paper Passion, a essência do perfume é inspirada no cheiro de um livro que acabou de ser impresso. 
O perfume é parte da edição 2012 da revista Wallpaper Handmade, os responsáveis pela criação do aroma foram o publisher alemão Gerhard Steidl e o perfumista Geza Schoen.
   
 
Karl Lagerfeld diretor criativo da Chanel concebeu não só a aparência do produto como também o nome da fragrância, Paper Passion. A embalagem imita um livro com páginas reais e um compartimento que esconde o perfume. Ela conta ainda com artigos do próprio Lagerfeld, de Schoen, do autor alemão Günter Graas e do editor da Wallpaper, Tony Chambers
 

O perfume pode ser comprado online no Steidville e custa US$98 e está sendo vendido em lojas, livrarias e perfumarias selecionadas ao redor do mundo.

Eu quero muito!

Fonte: Menos um na estante
          Revista ELLE
          Steidl

segunda-feira, 16 de julho de 2012

Metade maçã, metade serpente

Voluptuosamente
metade maçã
metade serpente
com teus passos
inventas o mundo

às vezes brincas
de pássaro
ou
andarilha de sombras
com teus olhos evocas
cordilheiras abissais
e é no teu âmago
que a noite se forma

dentro de ti
o novelo da vida

Mulher
Roseana Murray in Pássaros do Absurdo

sexta-feira, 13 de julho de 2012

Curiosidade Cultural - Arma de Instrucción Masiva



A Arma de Instrucción Masiva é uma obra de Raúl Lemesoff, artista argentino. O tanque, é uma escultura ambulante que transporta libros, recebe doações e os distribui para a população carente. Neste sentido , o ADIM como é chamado, trata de transitar por escolas, bares, assentamentos rurais e todos aqueles lugares onde os libros raramente chegam, com o objetivo de difundir a leitura e estimular a criatividade que os libros geram em quem os lê. 
GENIAL!!!





           Raul Lemesoff

quarta-feira, 11 de julho de 2012

Sintaxe a vontade



todo sujeito é livre para conjugar o verbo que quiser
todo verbo é livre para ser direto ou indireto
nenhum predicado será prejudicado
nem tampouco a vírgula, nem a crase nem a frase e ponto final!
afinal, a má gramática da vida nos põe entre pausas, entre vírgulas
e estar entre vírgulas é aposto
e eu aposto o oposto que vou cativar a todos
sendo apenas um sujeito simples


O Teatro Mágico

terça-feira, 3 de julho de 2012

Já não sei andar só pelos caminhos


 
O amor é uma companhia.
Já não sei andar só pelos caminhos,
Porque já não posso andar só.
Um pensamento visível faz-me andar mais depressa
E ver menos, e ao mesmo tempo gostar bem de ir vendo tudo.
Mesmo a ausência dela é uma coisa que está comigo.
E eu gosto tanto dela que não sei como a desejar. 

Se a não vejo, imagino-a e sou forte como as árvores altas.
Mas se a vejo tremo, não sei o que é feito do que sinto na ausência dela.
Todo eu sou qualquer força que me abandona.
Toda a realidade olha para mim como um girassol com a cara dela no meio.
Alberto Caeiro

domingo, 17 de junho de 2012

Desexplicar


Escrever nem uma coisa Nem outra -
A fim de dizer todas
Ou, pelo menos, nenhumas.
Assim,
ao poeta faz bem
Desexplicar -
Tanto quanto escurecer acende os vaga-lumes.

Manoel de Barros

 

sábado, 16 de junho de 2012

Curiosidade Cultural - Festa do Divórcio

Todo mundo sabe que a separação, seja ela provocada por qualquer motivo, representa um momento delicado e até de pesar, mas uma nova tendência de comportamento aposta em um rito de passagem inusitado para facilitar o processo: é a festa do divórcio, que marca o início da nova vida, sem casamento.


Segundo um artigo publicado pelo jornal britânico The Guardian, cresce o número de divorciados, principalmente mulheres, em busca de um encerramento festivo para as relações falidas. "Quando falamos em divórcio, as pessoas às vezes sentem a necessidade de agradecer quem as ajudou a passar por ele, seja de um jeito mais aberto ou discreto. Também há uma grande sensação de alívio de poder retomar a vida", afirma a consultora de relacionamento e terapeuta Denise Knowles, em entrevista ao The Guardian.

Países como Estados Unidos, Reino Unido e Japão costumam ter as festas mais frequentes do gênero, que já reúnem organizadores "veteranos" no ramo, como Christine Gallagher, autora do livro "How to throw a breakup party" ("Como dar uma festa de separação", em livre tradução). Desde 2008, ela organiza eventos do tipo e diz que faz duas festas por mês em Los Angeles, nos EUA. Cerca de 80% de sua clientela é formada por mulheres.

Em minha opinião para este tipo de festa é necessário cuidado para não cair no mau gosto. Bom senso na escolha do bolo é fundamental. Comemorar...Pode ser, mas com classe!




Fonte: GNT - Comportamento

domingo, 3 de junho de 2012

Curiosidade Cultural - Livro legível e comestível

Uma idéia deliciosa - Cookbook - O primeiro e único livro de receitas que você pode realmente ler, cozinhar e comer. Os leitores checam uma receita de lazanha, preparam e depois, literalmente falando, devoram-na. O livro feito de massa 100% fresca foi desenvolvido pela editora alemã Gerstenberg e a agência Korefe. Mexe com a imaginação dos "devoradores de livros".








Fonte:
           Korefe

quinta-feira, 31 de maio de 2012

Sapato Velho




Você lembra, lembra daquele tempo
Eu tinha estrelas nos olhos, um jeito de herói
Era mais forte e veloz
Que qualquer mocinho de cowboy

Você lembra, lembra
Eu costumava andar bem
 mais de mil léguas pra poder buscar
Flores de maio azuis
E os seus cabelos enfeitar

Água da fonte cansei de beber
Pra não envelhecer
Como quisesse roubar da manhã
Um lindo pôr de sol

Hoje, não colho mais
As flores de maio Nem sou mais veloz
Como os heróis

É talvez eu seja simplesmente
Como um sapato velho
Mas ainda sirvo se você quiser
Basta você me calçar
Que eu aqueço o frio dos seus pés




 
Roupa Nova
Sapato Velho
[Mú / Paulinho Tapajós / Claudio Nucci]

quarta-feira, 30 de maio de 2012

Apaixone-se...




Acorda, toma um café, penteia esse cabelo e saiba que você não precisa de mais ninguém para ser feliz. O mundo é seu.







Caio Augusto Leite

terça-feira, 29 de maio de 2012

Porque esqueci quem fui quando criança?


Porque esqueci quem fui quando criança?
Porque deslembra quem então era eu?
Porque não há nenhuma semelhança
Entre quem sou e fui?

A criança que fui vive ou morreu?
Sou outro? Veio um outro em mim viver?
A vida, que em mim flui, em que é que flui?

Houve em mim várias almas sucessivas
Ou sou um só inconsciente ser?


Fernando Pessoa

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Estrela cadente



Quando eu estiver
com o olhar distante,
maninha,
com um jeito esquisito
de quem não está presente,
não se assuste,
ó maninha,
fui logo ali,
no quintal do céu,
colher uma estrela cadente.





Roseana Rurray
Poemas de Céu


sexta-feira, 25 de maio de 2012

Minha alma procura-me


Sou um evadido.
Logo que nasci
Fecharam-me em mim,
Ah, mas eu fugi.

Se a gente se cansa
Do mesmo lugar,
Do mesmo ser
Por que não se cansar?

Minha alma procura-me
Mas eu ando a monte
Oxalá que ela
Nunca me encontre.

Ser um é cadeia,
Ser eu é não ser.
Viverei fugindo
Mas vivo a valer.


"Sou um evadido"
Fernando Pessoa

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Viajar! Perder países!


Viajar! Perder países!
Ser outro constantemente,
Por a alma não ter raízes
De viver de ver somente!

Não pertencer nem a mim!
Ir em frente, ir a seguir
A ausência de ter um fim,
E a ânsia de o conseguir!

Viajar assim é viagem.
Mas faço-o sem ter de meu
Mais que o sonho da passagem.
O resto é só terra e céu.


Fernando Pessoa


domingo, 13 de maio de 2012

Sopro misterioso e encantador - maternidade




Mãe não é uma mulher que ficou grávida e deu à luz. Mãe é um sopro misterioso que toca mulheres e homens e cria neles um jeito de dar colo, de espantar o medo, de cantar canções de ninar, de fazer dormir, de abraçar, de agradar, de não fazer cobranças nem pedir explicações, de repreender com severidade e ternura, de consolar em silêncio, de escutar, de respeitar, de conduzir sem emprurrar ou puxar. Ninguém é mãe sempre. Uma pessoa é mãe quando é tomada pelo sopro da maternidade. Pode ser mulher. Pode ser homem. E que o nome desse dia não fosse Dia das Mães, mas Dia da Maternidade. Porque assim eu poderia ver meu próprio rosto no vitral colorido da catedral.


Rubem Alves


sexta-feira, 11 de maio de 2012

Viver tudo


Sentir tudo de todas as maneiras, Viver tudo de todos os lados,
Ser a mesma coisa de todos os modos possíveis ao mesmo tempo,
Realizar em si toda a humanidade de todos os momentos
Num só momento difuso, profuso, completo e longínquo.


Álvaro de Campos

quinta-feira, 10 de maio de 2012

Nítido como um girassol




O meu olhar é nítido como um girassol.
Tenho o costume de andar pelas estradas
Olhando para a direita e para a esquerda,
E de vez em quando olhando para trás...


E o que vejo a cada momento
É aquilo que nunca antes eu tinha visto,
E eu sei dar por isso muito bem...
Sei ter o pasmo essencial
Que tem uma criança se, ao nascer,
Reparasse que nascera deveras...
Sinto-me nascido a cada momento
Para a eterna novidade do Mundo...


Creio no mundo como num malmequer,
Porque o vejo. Mas não penso nele
Porque pensar é não compreender...
O Mundo não se fez para pensarmos nele
(Pensar é estar doente dos olhos)
Mas para olharmos para ele e estarmos de acordo...


Eu não tenho filosofia; tenho sentidos...
Se falo na Natureza não é porque saiba o que ela é,
Mas porque a amo, e amo-a por isso
Porque quem ama nunca sabe o que ama
Nem sabe por que ama, nem o que é amar...
Amar é a eterna inocência,
E a única inocência não pensar...

 
Alberto Caeiro
Poema Segundo
O Guardador de Rebanhos

sexta-feira, 4 de maio de 2012

Gotinhas de humor - E na hora de jogar o Buquê...

Não se pode dispensar o buquê de flores na cerimônia de casamento, mas na hora da festa vale embarcar neste novo e divertido jeito de comemorar.


O buquê de periguetes, para ser arremessado pelo noivo aos amigos solteiros. Um arranjo com várias bonequinhas que simboliza a renúncia do noivo às outras mulheres.



E para as noivas, o buquê de Santo Antônio é uma ideia que está fazendo sucesso, já que ele é composto por mini bonecos de pano do santinho, que se desprendem na hora de jogar o buquê.


Começar a vida a dois com bom humor, esta é uma ótima receita!





Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...